A ONU adota o primeiro tratado juridicamente vinculativo que proíbe armas nucleares

Marcha Mundial pela Paz Notícias

A conferência da ONU para negociar o Tratado de Proibição Completa de Testes Nucleares. Foto de Stock: Eskinder Debebe

7 de julho de 2017

A maioria dos estados membros da ONU adotou um tratado histórico que proíbe armas nucleares na sexta-feira.

A resolução foi aprovada por consenso com 122 votos a favor, o voto contra os Países Baixos e a abstenção de Cingapura.

O texto acordado por 129 países que negociaram o instrumento indica que o tratado cobre a ampla gama de armas nucleares e essas atividades.

Proíbe o desenvolvimento, teste, produção, aquisição e posse de arsenal ou explosivos nucleares.

As negociações, iniciadas em março, foram encarregadas da Conferência de negociar um instrumento juridicamente vinculativo para proibir essas armas e alcançar sua eventual eliminação total, convocado pela Assembléia Geral.

O presidente dessa conferência é o embaixador da Costa Rica na ONU, Elayne Whyte Gómez.

“Permita-me com muita emoção confirmar o resultado da votação. Votos a favor 122, votos contra um, abstenções um”, disse o diplomata.

O tratado abrirá para assinatura a partir de 20 de setembro de 2017 na sede das Nações Unidas em Nova York e entrará em vigor 90 dias após a ratificação de 50 nações.

No entanto, muitos países não participaram das negociações deste tratado, incluindo os nove com capacidade nuclear: Estados Unidos, Rússia, Reino Unido, França, China, Coréia do Norte, Índia, Paquistão e Israel.

A Delegação da Nicarágua representou a Comunidade dos Estados da América Latina e do Caribe (CELAC).

“O tratado, entre outros aspectos, reconhece os imperativos éticos do desarmamento nuclear e a urgência de alcançar e manter um mundo livre de armas nucleares, que é um bem público de primeira ordem que atende aos interesses de segurança nacional e coletivo. Portanto, a adoção de Este tratado representa um ponto de ruptura do status quo, o fortalecimento do regime de não proliferação e a promoção do desarmamento “, afirmou.

Fonte: https://news.un.org/es/story/2017/07/1382151

Para ver o Tratado de Proibição Completa de Testes Nucleares na integra, clique aqui!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.